O que é síndrome de Wolff-Parkinson-White?

O coração tem a função de contrair-se e bombear o sangue para o resto do corpo. Para isso, ele recebe um estímulo elétrico que percorre um caminho especializado dentro do coração, chamado sistema normal de condução, que estimula o órgão a contrair-se de maneira organizada. As vias acessórias são caminhos alternativos anormais dentro do coração. Esses caminhos permitem que o estímulo elétrico percorra um trajeto diferente, além do sistema normal de condução, o que pode gerar arritmias. Entre os vários tipos de vias acessórias o mais frequente é o feixe de Kent, observado na síndrome de Wolff-Parkinson-White. Muitas vezes é possível fazer o diagnóstico pelo eletrocardiograma de rotina, sendo que diversas taquiarritmias podem acometer os pacientes portadores de vias acessórias.

O que é Síndrome de Brugada?

A Síndrome de Brugada é uma doença genética, mais comum no sexo masculino, caracterizada clinicamente por uma alteração especifica detectada em alguns canais do eletrocardiograma, espontaneamente ou durante episódio de febre, com risco aumentado de arritmias ventriculares graves e morte súbita durante o sono.

O que é Síndrome do QT Longo?

É uma doença genética caracterizada por um prolongamento anormal de uma medida do eletrocardiograma denominada intervalo QT. Ocorre por uma anormalidade nos canais iônicos do coração e podem cursar com arritmias graves em indivíduos jovens e saudáveis. O risco é aumentado de arritmias ventriculares graves e morte súbita.
O diagnóstico é feito pelas características clínicas e do eletrocardiograma. A avaliação genética pode ser necessária em alguns casos.

Tenho parentes com Síndrome do QT Longo, também terei a síndrome?

Não obrigatoriamente. A Síndrome do QT Longo é uma condição que afeta a atividade elétrica do coração e é bastante rara. Cerca de 1 em cada 10 mil pessoas tem a síndrome, que pode ser diagnosticada no eletrocardiograma. A consulta com um arritmologista é fundamental para pessoas que tenham parentes com a síndrome e, em alguns casos, a avaliação genética pode ser necessária.