• ARRITMIAS CARDÍACAS – MITOS E VERDADES

    – Posso escolher meu tratamento, tomando apenas remédios.⠀

    MITO! Quem determinará qual o melhor tratamento para o paciente é o médico especialista em arritmias, arritmologista ou eletrofisiologista, profissionais que diagnosticam e tratam a doença.⠀

    – A arritmia cardíaca pode ser tratada de diversas maneiras.⠀

    VERDADE! Os tipos de tratamentos são: medicamentoso, ablação por cateter ou por implante de dispositivos Cardíacos Eletrônicos Implantáveis (DCEI), como Marca-passo (MP), Cardiodesfibrilador Implantável (CDI) ou Ressincronizador.⠀
    ⠀ – Existem vários tipos de tratamentos para as Arritmias Cardíacas que são eficazes.⠀

    VERDADE! Dependerá de cada caso, mas geralmente as opções terapêuticas para o tratamento das arritmias cardíacas levarão em conta a condição do coração do paciente. Elas podem envolver a terapia farmacológica ou as formas intervencionistas, como a ablação por cateter e o implante de dispositivos cardíacos eletrônicos (DCEI). A ablação por cateter, por exemplo, é utilizada quando o paciente não apresenta bons resultados com medicamentos ou quando prefere um tratamento mais próximo do definitivo possível. Antes da cirurgia de ablação é realizado o estudo eletrofisiológico do coração. Um cateter elétrico sensível é usado para mapear o músculo cardíaco e as origens da atividade elétrica “extra” do órgão. O mapa indica quais as áreas problemáticas dos sinais elétricos que interferem no ritmo cardíaco. Prosseguindo, o médico realiza a ablação, ou seja, a destruição do tecido para cicatrizar as áreas com problemas, que então deixarão de enviar sinais anormais. O procedimento é minimamente invasivo. Geralmente, é um procedimento bem sucedido, que atende a vários tipos de arritmias e com um curto período de recuperação. O coração pode voltar a seu ritmo normal e é importante para a qualidade de vida do paciente.⠀
    —⠀⠀
    Dr. André Pacheco⠀⠀
    CRM SC 15555 RQE 13140

    Deixe um comentário →

Deixe um comentário

Cancel reply